Quer comprar os famosos biquínis Salinas por apenas R$29,90 ? Clique na foto!

Quer comprar os famosos biquínis Salinas por apenas R$29,90 ? Clique na foto!
Clique na foto e seja levado à nossa loja com mais de 5.000 biquínis

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

BURLESQUE




BURLESQUE
DIREÇÃO: Steve Antin
ELENCO: Christina Aguilera, Cam Gigandet, Kristen Bell, Cher, Julianne Hough, Eric Dane, Stanley Tucci, Alan Cumming, Dita Von Teese

'Burlesque' acompanha Ali (Christina Aguilera), uma jovem de uma cidade do interior com uma bela voz, que escapa da vida dura e de um futuro incerto e vai a Los Angeles, para concretizar os seus sonhos. Por acaso, ela chega a um teatro majestoso, porém em péssimo estado de conservação, The Burlesque Lounge, onde está sendo exibido um fantástico musical. Ali é contratada como garçonete por Tess (Cher), dona e administradora do teatro. Os fantásticos figurinos de Burlesque e a coreografia ousada conquistam Ali, que se promete que, um dia, subirá ao palco do teatro. Logo, Ali fica amiga de uma dançarina (Julianne Hough), provoca o ciúme de uma dançarina desequilibrada (Kristen Bell) e conquista o amor de Jack (Cam Gigandet), que trabalha como bartman e músico. Com a ajuda de um esperto cenógrafo (Stanley Tucci) e o apresentador transformista (Alan Cumming), Ali consegue sair do bar e subir ao palco. Sua voz espetacular ajudar a recuperar a antiga glória do The Burlesque Lounge, porém somente depois que um empresário carismático (Eric Dane) chega com uma proposta tentadora...

Todas as vezes que alguém me questiona sobre qual é o meu filme favorito, eu, assim como a maioria dos cinéfilos, respondo que não tenho um só preferido. Na verdade, de todos os sabe Deus quantos filmes eu já vi em toda a minha vida, apenas sete ganharam nota 10. E de todos eles, quatro pertencem ao gênero Musical. Ser fã desse gênero é invadir os limites do prazer ao vê-lo sendo ressuscitado no início do século XXI, mas ser fã é também reconhecer e lamentar a decadência que o mesmo vem sofrendo nos últimos anos. Burlesque está aí para comprovar.

Como as canções devem ser usadas em um filme desse tipo? Devem substituir diálogos? Devem ser apenas inseridas? Muitos filmes já optaram pelo primeiro, outros optaram pelo segundo e outros optaram pelos dois. E o resultado saiu positivo. Mas Burlesque trata a música como um mero artifício para exigir algo de seus atores em cena. Admite-se boas passagens musicais com números de dança admiráveis, mas a maioria das canções são colocadas na trama sem quê nem pra quê de modo 100% descartável.

Mas o nível do absurdo que ronda o filme são as explícitas cópias que ele faz de outros filmes de renome dos últimos anos. Logo no início quando as dançarinas da casa noturna estão cantando Sparkling Diamonds, percebe-se claramente uma mescla de Nicole Kidman com Marilyn Monroe. Não que isso seja um pecado, mas o erro fica na observação do ato por parte de Ali, que logo, num gesto sonhador, se vê ali no palco interpretando a canção. Exatamente a mesma coisa que acontece em Chicago, quando a Roxie observa a Velma Kelly cantando All That’s Jazz. Ridículo. Quanto à personagem Tess, ela no início rejeita Ali, porém, depois decide ajudá-la, acaba sendo conquistada, mas detesta ser chamada por ela de “senhora”. Pois bem, em Menina de Ouro, o personagem de Clint Eastwood rejeita a personagem de Hilary Swank, depois decide ajudá-la, acaba sendo conquistado, mas detesta ser chamado por ela de “chefe”. Vale também ressaltar que Ali, sendo estrela principal da casa, atrai os olhares de um homem rico disposto a fazê-la crescer profissionalmente e transformá-la em uma estrela. Agora eu pergunto: Não foi exatamente isso o que acontece em Moulin Rouge na relação de Satine com o Duque?

Sério que alguém dispôs a fazer um filme nessa circunstância. Será que acharam que ninguém perceberia? Tudo bem que inspirações existem e são muito importantes, mas uma cópia descarada alcança os limites do absurdo.

Quando investiram no romance, enxerga-se claramente uma boa química entre Ali e Jack, mas com o passar da fita, a relação dos dois fica extremamente crua, mesmo que fique notório que o desfecho para ambos seguiria uma linha de raciocínio lógica e totalmente previsível.

No elenco, a atuação de Christina Aguilera chega a ser positiva, mas nada extraordinário. Contudo prova que o patinho feio do Club do Mickey é mesmo Britney Spears, assim palmas para ela, Justin Timberlake e, principalmente, Ryan Gosling. Mas se Aguilera não chega a fazer mal, a tragédia que ronda os atores do filme atende pelo nome de Cher. Completamente sem nenhuma expressão no rosto, ela não transparecer algo na personagem que faça o espectador elaborar algum tipo de sentimento por ela. Onde está a Cher que estorou em Hollywood como cantora, se meteu a fazer cinema e ganhou o Oscar de Melhor Atriz por Feitiço da Lua? Lamentável.

Tendo como melhor momento a canção You Haven’t See My The Last Of Me (a canção, não a cena), que merecia ser indicada ao Oscar, Burlesque é daqueles filmes fiasco que um dia, sem dúvida, será exibido na televisão, mas, quando for reprisado, poucos se lembrarão que aquela obra existiu.

Fonte da Sinopse: CinePop
Postar um comentário

Google+